Lançamento do Livro Ferrovias no 3º Fórum Nacional de Meio Ambiente e IX Fórum de Direito Ambiental

 

O evento se deu nos dias 19 e 20 de maio de 2016, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp, em Presidente Prudente. Um  momento muito importante do evento foi  o lançamento do quarto livro do especialista em ferrovias, professor José Manoel Ferreira Gonçalves.

Na obra, chamada ‘Ferrovias’, o autor apresenta artigos e documentos relativos ao transporte sobre trilhos, seja de cargas ou de pessoas. Faz uma ampla análise das causas que resultaram no estado de abandono do modal ferroviário no País. ‘O livro trata de diversos temas fundamentais para o fortalecimento do setor ferroviário e procura traduzir aspectos mais complexos e intrincados de forma fácil e acessível a todos, além dos já mais familiarizados com os assuntos de logística e transportes’, disse Gonçalves.

13262176_1289238454424532_940899629_o13271541_1289235734424804_590380014_o13271587_1289237467757964_534438273_o13271698_1289235937758117_467692013_o13275086_1289236754424702_795783387_o13282519_1289237757757935_2090410433_o13282603_1289238551091189_1141459778_o13282695_1289236984424679_1960100369_o13282717_1289236474424730_53329439_o13287921_1289238254424552_1902665185_o13288221_1289238361091208_2032261334_o13288232_1289238094424568_1650569329_o

Silêncio Ensurdecedor

O som das gravações do agora ex-ministro Romero Jucá cobram eco. O eco da resposta irada e revoltada dos inocentes.

“Conversei ontem com alguns ministros do Supremo”. O silêncio do Supremo ensurdece o cidadão, que não pode mais acreditar nas leis nem na justiça. A não prisão de Romero Jucá equivalerá a uma confissão da maioria do colegiado do Supremo, vez que Jucá afirmou que Ministros do Supremo conspiraram contra o mandato da presidente eleita (não importando neste raciocínio se boa ou má presidente) para assim poder frear a lava-jato. Gilmar Mendes, que conforme documentação apresentada pela revista Carta Capital recebeu 185 mil reais do valeriodouto tucano de Minas Gerais, acaba de assumir a presidência do grupo de ministros que julgam a lava-jato. O ministro que deveria ter assumido cedeu o lugar.

Hoje, Lançamento e Palestra do Livro Ferrovias.

Artigos e documentos relativos ao transporte sobre trilhos, seja de cargas ou de pessoas. Uma análise ampla das causas que resultaram no abandono do modal ferroviário. Isso tudo está no quarto livro “Ferrovias” que será lançado pelo professor e especialista em ferrovias José Manoel Ferreira Gonçalves no 3º Fórum Nacional de Meio Ambiente e IX Fórum de Direito Ambiental do Pontal do Paranapanema, que acontece nos dias 19 e 20 de maio de 2016 na Unesp – Faculdade de Ciências e Tecnologia, na cidade de Presidente Prudente, às 13h45.
 
> No livro José Manoel tratando da história ferroviária no nosso País, sob o prisma técnico, político e ambiental, percorre aspectos mais complexos que são de interesse público, mas o faz de forma simples, mas não simplória, apresentando possíveis soluções e alternativas para que o caos no setor seja enfrentado de forma estruturante.
> A publicação o trata de diversos temas fundamentais para o fortalecimento do setor ferroviário e procura traduzir aspectos mais complexos e intrincados de forma fácil e acessível a todos, além dos já mais familiarizados com os assuntos de logística e transportes..
>
> ” Foi muito interessante aceitar o desafio que me foi proposto pelo meu amigo e editor, Salvio Luiz Nienkotter, de reportar, como numa série de reportagens, em artigos articulados entre si, os principais fatos da triste realidade do setor no Brasil de forma bem acessível e prática, traduzindo os detalhes mais intrincados e muitas vezes ocultos, de forma clara e transparente, para que a opinião pública possa formar assim sua própria convicção e militar pela causa”.
jm lançamento
> Currículo do José Manoel:
> José Manoel Ferreira Gonçalves é doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Itajubá. Engenheiro Civil (Universidade Mackenzie), Jornalista (Fundação Cásper Libero) e Advogado (Universidade Santa Cecília). Pós-graduado em Geoprocessamento (UFRJ), Termofluidomecânica (EFEI), Eng. Oceânica (Coppe-UFRJ) e História da Arte pela Fundação Armando Álvares Penteado FAAP. Conselheiro do Instituto de Engenharia em dois mandatos e do CREA- Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo e autor do livro “Despoluído sobre Trilhos”.
© 2016 Microsoft Termos Privacidade e cookies Desenvolvedores Português (Brasil)

Lançamento do livro Ferrovias – Divulgação

Será lançado durante o evento o quarto livro do especialista em ferrovias Prof. José Manoel Ferreira Gonçalves

Será lançado durante o 3º Fórum Nacional de Meio Ambiente e IX Fórum de Direito Ambiental do Pontal do Paranapanema, que acontecerá nos dias 19 e 20 de maio de 2016 na Unesp – Faculdade de Ciências e Tecnologia, na cidade de Presidente Prudente, o quaro livro do especialista em ferrovias, prof. José Manoel Ferreira Gonçalves.

Em ferrovias, o autor apresenta artigos e documentos relativos ao transporte sobre trilhos, seja de cargas ou de pessoas. Faz uma ampla analise das causas que resultaram no estado de abandono criminoso do modal ferroviário em nosso país.

No livro José Manoel tratando da história ferroviária no nosso país, sob o prisma técnico, político e ambiental, percorre aspectos mais complexos que são de interesse público, mas o faz de forma simples, mas não simplória, apresentando possíveis soluções e alternativas para que o caos no setor seja enfrentado de forma estruturante.

” Foi muito interessante aceitar o desafio que me foi proposto pelo meu amigo e editor, Salvio Luiz Nienkotter, de reportar, como numa serie de reportagens, em artigos articulados entre si, os principais fatos da triste realidade do setor no Brasil de forma bem acessível e prática, traduzindo os detalhes mais intrincados e muitas vezes ocultos, de forma clara e transparente, para que a opinião pública possa formar assim sua própria convicção e militar pela causa”.

Palestrante: Prof. José Manoel Ferreira Gonçalves

Data: 19   a   20 de maio de 2016

Loca: lFaculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp – Presidente Prudente

Observações

Em seu quarto livro publicado sobre o assunto, José Manoel Ferreira Gonçalves apresenta artigos e documentos relativos ao transporte sobre trilhos, seja de cargas ou de pessoas. Desde a crise do café, em 1929, o país tem deixado de investir no meio de transporte mais barato, mais ecológico e mais seguro que o homem já inventou. No livro José Manoel trata da história ferroviária sob o prisma técnico (ele é doutor em engenharia com foco na ferrovia) e político, (além de engenheiro, advogado e jornalista, José Manoel, que é o presidente do instituto de estudos Ferrofrente- Frente Nacional pela Volta das Ferrovias, é também formado em Ciência Política). Além da variedade de prismas pelos quais são tratados, os assuntos são de interesse de todo cidadão interessado no país, na logística e/ou nas diversas questões ambientais.

Carta Aberta ao novo Governo Interino

A data inexorável chegou, a presidente foi afastada e assumiu um novo chefe da nação e um novo ministério.  O afastamento se deu em caráter provisório, contudo, mesmo que a oposição só tenha conseguido 55 votos –  o que pode gerar instabilidade, vez que se perder dois votos até o julgamento do processo a oposição à Dilma terá perdido tudo -, não há pessoa ou grupo que trabalhe com a hipótese da volta, factum est.

Como entidade de interesse público, a FerroFrente não tomou partido, manteve-se independente e crítica a um e outro lado, como convém ao papel que exerce. Mais que nunca neste grave momento torce pelo melhor à nação.

 

Neste momento cumpre seu dever de apresentar sua posição oficial e as reinvindicações de seus integrantes:

 

Justiça:

Em primeiro lugar empenhamos nosso apoio irrestrito à operação Lava Jato, com amplo combate à corrupção e efetiva punição de todos os responsáveis por desvios.

Manutenção de um Ministério Público independente, com indicação do Procurador Geral daquele que encabeçar a lista tríplice.

 

Política:

Temos clara orientação socialdemocrata e, neste contexto, conclamamos o novo governo provisório a manter as políticas públicas de inclusão social encetadas pelo governo FHC e amplamente robustecidas pelo governo que ora agoniza, ainda que de forma pouco sustentável.

Pleiteamos reforma política imediata, que preveja o fim das coligações partidárias, cláusula de desempenho eleitoral, maior regulação da utilização dos fundos partidários.

Pleiteamos ainda:

  • o voto distrital misto;
  • instituição de mecanismos para que tenhamos uma forte redução do número de partidos;
  • que se combata o fisiologismo partidário, causa raiz dos maiores males de nossa República;
  • Financiamento público de campanhas, vez que o financiamento indireto, como comprovam os eventos da Lava Jato, só fazem elevar drasticamente estes custos, sendo que a fonte primeira deles tem sido sempre os cofres públicos;
  • convocação de Assembleia Constituinte exclusiva em 2018;
  • instituição, por meio da constituinte ou por meio de plebiscito do parlamentarismo;
  • Manutenção das conquistas históricas do trabalhismo;
  • Proibição da terceirização da atividade fim, o que apenas precarizaria o trabalho.

 

Economia:

  • Equilíbrio das contas públicas;
  • Política de geração de empregos, com o aumento dos investimentos público-privados, mas com projetos bem elaborados e sob orientação do Estado e fiscalização efetiva por meio das agências reguladoras, que devem recuperar seus papeis essenciais, com o apoio do governo que acaba de assumir.

 

Meio ambiente:

  • Realização de ações no sentido de manter os direitos de todos em ter um meio ambiente equilibrado, sustentável, que possa garantir a sobrevivência saudável desta e das futuras gerações.

 

Cultura:

  • Consideramos lamentável a anexação do Ministério da Cultura pelo Ministério da Educação. São missões complementares, sem dúvida, mas diferentes. O que não podemos admitir é que sejam desprezadas as conquistas na área da cultura, bem como os instrumentos institucionais existentes na estrutura do Ministério da Cultura.
  • O corte precoce de 7 mil bolsas e o estímulo ao pagamento de mensalidades em Universidades públicas sem que nada tenha sido dito em relação a garantir melhores salários para os professores, mais maior capacitação do corpo docente e melhor estrutura física ou pedagógica, certamente nos coloca em sinal de alerta pelo que está por vir.

 

Inclusão Social:

A ausência de qualquer mulher (grupo que representa metade da população) de qualquer negro (grupo que representa mais da metade da população brasileira), além da ausência de representante de qualquer minoria no Ministério.

O corte das pastas do Trabalho e da Previdência Social; Desenvolvimento Agrário ao Desenvolvimento Social; Mulheres, Igualdade Racial, Juventude e Direitos Humanos, dá um claro sinal negativo a todas as minorias. Quanto ao fim da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência melhor nem falar. Acresce que a economia com o corte desses Ministérios e Secretarias é apenas de ordem psicológica, um jogo de marketing, já que todos os funcionários são apenas removidos e, muita vez, a simples remoção gera custos astronômicos.

 

Infraestrutura:

  1. convocar a sociedade civil para oferecer propostas, como a FerroFrente tem feito, com uma lista de projetos.
  2. Investimentos no ferroviarismo, vez que congrega em si o condão de aumentar nossa competividade externa, diminuir os custos internos de frete, reduzindo inclusive o preço da cesta básica, redução de acidentes nas estradas e de poluição nas grandes cidades, oriundas da fumaça dos ônibus, causando mortes por câncer de pulmão.

 

 

FerroFrente – Frente pela volta das ferrovias

José Manoel Ferreira Gonçalves – Presidente

São Paulo realizará a 15ª Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas

Bairro a Bairro: São Paulo mais verde

Mudanças Climáticas- Desdobramentos da COP21

attachment

Evento será realizado no dia 30 de junho, na sede da APCD, em Santana.

Há 15 anos acontece em São Paulo a Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas, que tem como objetivo intermediar o diálogo entre cidadãos, instituições, iniciativa privada e governo, para aprofundar a discussão sobre os três pilares da sustentabilidade: ambiental, econômico e social, além de propor políticas públicas e legislações de caráter mais objetivo e resolutivo. Esse evento é fruto da lei de autoria do vereador Gilberto Natalini (PV), que é o proponente e presidente da Conferência.

Evento gratuito que na primeira edição em 2002, reuniu 350 pessoas, 6 parceiros e em 2015 contou com mais de 3.000 participantes e 350 parceiros.

A programação da Conferência, que este ano tem como tema: Bairro a Bairro: São Paulo mais verde. Mudanças Climáticas- Desdobramentos da COP21, será aberta por uma mesa diretora, onde autoridades de diversas áreas do governo estadual e municipal e entidades da sociedade civil irão expor ações focadas nas questões de sustentabilidade. A palestra magna será ministrada pelo urbanista Cândido Malta que é o responsável pela criação de políticas de desenvolvimento urbano em diversas cidades brasileiras e na sequência dois painéis contarão com a presença de especialistas da iniciativa privada, governo, universidade e terceiro setor.

“A Conferência P + L é um fórum de discussão municipal sobre ocupação do espaço urbano relacionado com o meio ambiente e sustentabilidade. Tudo que ocorre na cidade tem que, primeiramente, ser discutido com os cidadãos nos bairros.” comenta Gilberto Natalini, proponente do evento.

Cenário de iniciativas sustentáveis
Na área de exposição, o público terá oportunidade de conhecer diversos exemplos de projetos, produtos e serviços alinhados às questões de sustentabilidade, com o conceito de produzir mais e melhor com menos.

Mais informações 
Luciana Feldman
Assessora Parlamentar Vereador Gilberto Natalini
lucianafeldman@gmail.com
3396-4405/ www.natalini.com

Sandra Pegorelli
Ânggulo Comunicação Estratégica
5031-2707- sandra@anggulo.com.br

Serviço

15ª Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas da Cidade de São Paulo
30 de junho de 2016  l   8h30 às 17h00
Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas – APCD
Rua Voluntários da Pátria, 547 – Santana  – próxima a estação Tietê do Metrô
inscrições gratuitas – www.natalini.com.br

attachment (1)

attachment (2)

Especialista lança livro “Ferrovias” (UNIP)

O 3º Fórum Nacional de Meio Ambiente e IX Fórum de Direito Ambiental do Pontal do Paranapanema, que acontecerá nos dias 19 e 20 de maio de 2016, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp, em Presidente Prudente, terá mais um atrativo: o lançamento do quarto livro do especialista em ferrovias, professor José Manoel Ferreira Gonçalves.

Na obra, chamada ‘Ferrovias’, o autor apresenta artigos e documentos relativos ao transporte sobre trilhos, seja de cargas ou de pessoas. Faz uma ampla análise das causas que resultaram no estado de abandono do modal ferroviário no País. ‘O livro trata de diversos temas fundamentais para o fortalecimento do setor ferroviário e procura traduzir aspectos mais complexos e intrincados de forma fácil e acessível a todos, além dos já mais familiarizados com os assuntos de logística e transportes’, disse Gonçalves.

José Manoel trata da história ferroviária no nosso País, sob o prisma técnico, político e ambiental, percorrendo aspectos mais complexos que são de interesse público. De forma simples, apresenta possíveis soluções e alternativas para que o caos no setor seja enfrentado de forma estruturante.

“Foi muito interessante aceitar o desafio que me foi proposto pelo meu amigo e editor, Salvio Luiz Nienkotter, de reportar, como numa série de reportagens, em artigos articulados entre si, os principais fatos da triste realidade do setor no Brasil, de forma bem acessível e prática, traduzindo os detalhes mais intrincados e muitas vezes ocultos, de forma clara e transparente, para que a opinião pública possa formar assim sua própria convicção e militar pela causa’.

José Manoel Ferreira Gonçalves é doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Itajubá. Engenheiro Civil (Universidade Mackenzie), Jornalista (Fundação Cásper Libero) e Advogado (Universidade Santa Cecília). Pós-graduado em Geoprocessamento (UFRJ), Termofluidomecânica (EFEI), Eng. Oceânica (Coppe-UFRJ) e História da Arte pela Fundação Armando Álvares Penteado FAAP. Conselheiro do Instituto de Engenharia em dois mandatos e do CREA- Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo e autor do livro ‘Despoluído sobre Trilhos’.

LANÇAMENTO LIVRO unip

Será lançado durante o evento o quarto livro do especialista em ferrovias Prof. José Manoel Ferreira Gonçalves.

Será lançado durante o 3º Fórum Nacional de Meio Ambiente e IX Fórum de Direito Ambiental do Pontal do Paranapanema, que acontecerão nos dias 19 e 20 de maio de 2016, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp, na cidade de Presidente Prudente, o quarto livro do especialista em ferrovias Prof. José Manoel Ferreira Gonçalves.

jm lançamento

Nesta publicação o autor apresenta artigos e documentos relativos ao transporte sobre trilhos, seja de cargas ou de pessoas, e faz uma ampla análise das causas que resultaram no estado de abandono delituoso do modal ferroviário em nosso país.

No livro, tratando da história ferroviária no nosso país sob o prisma técnico, político e ambiental, José Manoel percorre aspectos complexos, mas o faz de forma simples, vez que são de interesse público amplo. Assim, apresenta soluções plausíveis e alternativas para que o caos no setor seja enfrentado de forma estruturante.

Segundo o autor, que é, entre outros títulos, doutor em engenharia, jornalista, advogado e cientista político: “Foi um desafio proposto pelo meu editor, o Sálvio Nienkötter, de reportar, como numa série de reportagens, via artigos articulados entre si, os principais fatos da triste realidade do setor no Brasil de forma clara e prática, traduzindo os detalhes mais intrincados, nas mais das vezes ocultos, de forma transparente, para que a opinião pública possa formar assim sua própria convicção.” Segundo José Manoel a expectava é que o leitor acabe por “militar pela causa”, que é “fulcral para a competitividade para o Brasil no exterior, para que o feijão chegue mais barato na mesa do trabalhador, para diminuir as tragédias nas estradas e para conter a morte pelo câncer causado pela fumaça do diesel, especialmente nas grandes cidades”.